Blog

Dor de dente é sinônimo de tratamento de canal?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Alguma vez você sentiu dor no dente e pensou que precisaria realizar um tratamento de canal? Essa é uma das dúvidas mais frequentes que chegam ao consultório odontológico e parte disso se deve ao grande temor que ronda este procedimento.

Mas você pode ficar tranquilo! Aqui, vamos explicar melhor quais são as principais causas, como prevenir e, principalmente, como é feito o tratamento de canal. Dessa maneira, você poderá desmistificar, junto com a gente, o procedimento, deixando o medo e a tensão de lado.

O que devemos lembrar é que a Odontologia e os seus tratamentos não são sinônimos de dor, principalmente por conta de todos os avanços nas tecnologias envolvidas e nos próprios procedimentos. Pelo contrário, é sinônimo de bem-estar e qualidade de vida! 

Como é feito o tratamento de canal?

Quando é necessário realizar um tratamento de canal, isso significa que a raiz do dente já foi atingida. Sendo assim, o tratamento consiste em na retirada da polpa do dente, um tecido encontrado em sua parte interna. Normalmente, este procedimento é feito em diferentes etapas.

Caso a polpa dentária tenha sido infectada, danificada ou morta, ela é totalmente removida. Então, o espaço que restou deve ser limpo, preparado e preenchido. Ao fim, temos a inserção de um cone flexível em cada canal, e selado na posição adequada com o material apropriado.

Caso o paciente tenha que realizar o procedimento em duas sessões diferentes, após a retirada da polpa infectada e da limpeza, o profissional coloca uma restauração temporária na abertura da coroa, com o objetivo de proteger o dente.

Na etapa final, normalmente é colocada uma coroa sobre o dente para restaurar o seu formato e aparência natural. Quando os dentes restaurados são adequadamente tratados, seguindo todas as indicações do cirurgião-dentista, podem durar a vida toda. 

Entretanto, como ainda é possível que esse dente restaurado apresente cáries, é muito importante que todas as indicações de higiene bucal sejam seguidas, além, é claro, do acompanhamento do profissional, a fim de evitar problemas futuros.

É possível prevenir?

Antes de entender a prevenção, devemos ver quais são os casos mais comuns de infecção ou morte da polpa dentária:

  • Dano ao dente, como um forte trauma;
  • Dente quebrado;
  • Cárie profunda.

Apesar de ser muito difícil evitar que acidentes aconteçam, o que pode levar aos traumas e dentes quebrados, uma das causas mais comuns da necessidade do tratamento de canal são as cáries profundas.

Isso acontece não apenas quando as principais indicações de higiene bucal são evitadas, como a escovação após as principais refeições, mas também quando as visitas periódicas ao dentista são deixadas de lado.

Afinal, o início das cáries muitas vezes são percebidas apenas pelos profissionais, já que apresentam poucos sintomas. Apenas quando se encontram em um estágio mais avançado, o dente começa a doer, o que faz com que muitos finalmente procurem ir ao dentista.

Com isso, podemos perceber como a prevenção é simples e já ouvimos falar delas desde a nossa infância. Escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia, principalmente após as refeições, passar o fio dental diariamente e evitar excessos do açúcar.

Além, é claro, de realizar as suas consultas periódicas com o dentista, garantindo que todas as questões sejam tratadas logo no início, evitando que se agrave.

ABO CRO 12864 | RT: CARLOS HENRIQUE SILVEIRA VILLELA | CD | CROSP 49116

Dr. CARLOS HENRIQUE SILVEIRA VILLELA

Dr. CARLOS HENRIQUE SILVEIRA VILLELA

CRO-SP 49116