Blog

Entenda o envelhecimento cutâneo e saiba como os preenchedores faciais podem ajudar seus pacientes

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

​A firmeza da pele, as maçãs do rosto mais acentuadas e os contornos bem delineados saltam aos olhos das pessoas quando somos jovens, mas os efeitos da passagem do tempo e de hábitos nocivos não demoram de se fazerem perceber. Devido a isso e à possibilidade de alcançar melhorias estéticas com procedimentos menos invasivos que cirurgias plásticas, cresce cada vez mais a busca pelas técnicas de harmonização facial. Elas podem ser realizadas por cirurgiões-dentistas qualificados para tal feito e fazer parte dos tratamentos que você oferece no seu consultório. A seguir, falaremos mais a respeito do processo de envelhecimento cutâneo e sobre como o preenchimento facial atende a essa demanda.​

​Como nossa pele envelhece?​

​Existem dois tipos de envelhecimento: o intrínseco e o extrínseco. O primeiro ocorre com o passar do tempo e geralmente começa a se pronunciar a partir dos 30 anos de idade. Dependendo bastante de fatores como caracteres hereditários e regulação hormonal, ele acontece simultaneamente à senescência dos demais órgãos do corpo humano e é resultado dos danos que o acúmulo temporal de radicais livres de oxigênio provoca.​

​Com isso, a função dos tecidos vai de se degenerando, o que encurta os telômeros, estruturas responsáveis pela proteção dos cromossomos, e, consequentemente, diminui a capacidade de divisão celular. Apesar de contribuir para o sistema imunológico, a ação dos radicais livres também reduz a síntese da matriz da derme e aumenta a quantidade de enzimas que destroem a matriz de colágeno e desaceleram a produção de elastina.  Tudo isso gera flacidez, rugas e perda de elasticidade cutânea. ​

As rugas provenientes desse processo são as gravitacionais, causadas pela força da gravidade, e as de expressão, resultantes dos movimentos de tração dos músculos faciais, feitos cerca de 1500 vezes por dia. Há uma acentuação dessas contrações diante de estresse fisiológico, ou seja, de reações do corpo quando há ou parece haver exposição a situações de perigo.​

​O envelhecimento extrínseco, por sua vez, é causado por fatores exteriores, como o próprio nome sugere. Algumas das causas dele são o estilo de vida, o tabagismo, a poluição ambiental e a radiação UV. Esta última, que dá origem ao fotoenvelhecimento, é emitida pelo sol e quebra as fibras colágenas cutâneas. ​

​E como os preenchedores faciais são usados nesse contexto?​​

As substâncias mais utilizadas para preenchimento facial atualmente são a toxina botulínica e o ácido hialurônico. A primeira, extraída da bactéria Clostridium Botulinum, é aplicada em músculos específicos da face para relaxá-los e, assim, suavizar vincos e deixar o rosto mais simétrico. A segunda consiste em um biopolímero, que é injetado para definir o contorno de regiões do rosto e para minimizar rugas e sulcos. Recomenda-se buscar esses tratamentos como medida preventiva, logo na fase em que o envelhecimento intrínseco inicia sua intensificação, mas eles também apresentam bons resultados em pessoas de idade já avançada. ​

​Você sabia que a ABO Sorocaba oferece o curso Preenchimento Facial + Fios de Dermossustentação? Aproveite a oportunidade e seja um especialista nessas técnicas, que estão conquistando cada vez mais pessoas.​

Dr. CARLOS HENRIQUE SILVEIRA VILLELA

Dr. CARLOS HENRIQUE SILVEIRA VILLELA

CRO-SP 49116